Capitulo 4

Em vez de rolar ao redor, lutando com as folhas eu me surpreendo por adormecer rapidamente, mas eu sonho um monte de sonhos. Sonhos do que poderia ter sido, de Chris e Christian jogando em um parque, Christian me amando e me acalentando, de sol e de prados e risos felizes. Ele insulta e provoca-me com infinitas possibilidades, felizes e florescendo flores melancólicas numa tristeza emocionante.

Eu acordei em uma torrente de lágrimas, meus ouvidos e travesseiro molhado de lágrimas e minhas mãos pressionadas em meu coração, na tentativa de segurar as peças quebradras junto. O relógio está piscando furiosamente 04h27min. Viro-me para o lado olhando para a sala escura, que parece combinar com a cor da minha alma. Em um momento de fraqueza, de desolação eu quebrei a minha regra tácita e permitir-me a olhar para trás em momentos felizes com Christian.

Cada pista estava lá. A maneira como ele fez amor comigo, a maneira como ele disse meu nome, a maneira como ele mudou por mim, sua superproteção, e o seu zelo, seu desejo de me dar o melhor de tudo – coisas que eu nem sabia que eu desejava. Penso nas muitas vezes em que ele me disse, nas palavras absolutas e claras de que ele se importava. A lembrança traz consigo uma infinidade de imagens eróticas e da primeira vez que nos vimos como os outros nos teria visto, completamente apanhados um no outro, incapaz de negar o fogo que ardia tão selvagem, tão selvagem entre nós. É uma revelação surpreendente brilhante.

Com essas memórias pairando sobre a minha psique, um desejo lento e sexy começa a enrolar o meu corpo, espalhando-se, derretendo e aquecendo em seu rastro. Ontem, um tigre adormecido despertou por sua guarda, exigindo agora e com fome. Eu ouço minha própria respiração animada como eu deslizasse minhas mãos sobre meu o corpo sensivel. Eu nunca fiz isso antes, levar a minha própria carne como agora. Nunca houve qualquer necessidade de pré-Christian e quando o deixei, o meu desejo ficou para trás junto com ele e meu coração despedaçado.

“Você pode fazer isso!” – minha deusa interior está sorrindo me encorajando.
Meu subconciente sussurra – “É errado, ele não vai gostar.”
Mas ele não está aqui, eu sinto saudade. Eu corro minhas mãos sobre meus seios, fazendo uma pausa para sentir os mamilos sob meus tímidos e exploradores dedos. Eu suavemente circulo minhas palmas achatadas ao longo dos montes e sento o formigueiro requintado na minha barriga e na minha virilha. Eu aperto os mamilos tensos com firmeza, entre o polegar e o indicador, a picada doce arrancando um grito silencioso da minha garganta, me faz querer mais…

Eu deslizo minha mão direita em meus shorts de durmir onde eu conecto instantaneamente com o fio vivo em meu sexo. Meu corpo estremece, pois lembra as deliciosas sensações que ele é capaz. Vagamente eu ouço meu próprio gemido quando meu dedo circula suavemente meu clitóris.

Com os olhos fechados me lembro seu toque, seu dedo afundando-me, em seguida, chupando meu sexo escorregadio. Eu posso quase sentir os dentes no meu lábio, seu queixo e seu hálito quente na minha pele febril. O outro lado está trabalhando no meu peito, amassando e apertando, preocupando-se com meu mamilo dolorido. Ele envia o ritmo do meu direito na minha entrada.

Ah! Sua boca em mim, quente e úmida. O olhar em seus olhos quando ele me viu foi a resposta febril que eu precisava e  eu me rendo – sem esforço. Meu corpo assume um arco. Tudo aperta, enrijeco como os meus tremores do orgasmo.
Eu sou uma folha de outono caindo de uma árvore; suavemente a brisa me leva de volta para a Terra. Uauuu! Não é prazer induzido por Christian, mas incrivelmente bom também.

Lembrei-me porque precisei fazer aquilo! Oh, sim, a minha maldita insegurança! Eu faço cara feira. O que eu vou dizer a ele hoje? O que eu quero?

No meu adorável e saciado estado gelatinoso até osso eu revejo esses pensamentos em minha mente. Eu o quero de volta, eu admito para mim mesmo. Essa é a verdade pura e simples. Eu nunca deveria ter saído, mas eu fiz. Eu não posso mudar isso, não importa o quanto eu gostaria, mas não posso negar que eu o quero, quero de qualquer maneira te-lo de volta. Eu sorrio para as palavras que ele me disse uma vez, elas flutuam pela minha mente. Eu o quero para me amar e amar nosso filho, a semente de um plano desenrola lentamente em minha mente.

Minha percepção me da energia. Bom para um banho de mimos, bem preparado e irresistível. Além de uma boa esfoliação no corpo inteiro, eu tenho que raspar minhas pernas e arrancar minhas sobrancelhas rebeldes de volta em sua apresentação. Eu estou contente que não acabamos devorando um ao outro ontem. Pêlos da perna, juntamente com calcinhas de algodão não é abrir exatamente o caminho para a paixão desenfreada.

Não há mais “mamãe-uniforme” perto de Christian. Estou tão feliz que eu não consegui decidir o que vestir para a minha proposta de reunião e que acabei colocando na mala dois dos meus bons vestidos.

“Meus unicos bons vestidos.” – meu subconsciente me lembra maliciosamente.
Eu o ignoro. Eu poderia até ter a sorte de conseguir um corte de cabelo rápido antes de encontra-lo, eu passerei por um cabeleireiro no lobby inferior.

Em frente ao espelho do banheiro, eu fico completamente nua. Eu odeio fazer isso, mas é hora de uma avaliação honesta. Eu estou meio ansiosa, meio com medo de ver o que Christian vê quando ele olha para mim. Faz tanto tempo desde que eu tive um duro olhar para mim – por que eu? Felizmente o meu corpo sobreviveu a gravidez também. Meus seios ainda são agradáveis ​​e resistentes, porem acho que um pouco maiores. Certamente isso não pode ser uma coisa ruim.

Eu inclino minha cabeça para o lado e contino a minha avaliação. Minha barriga é quase tão plana como costumava ser, mas não é tão rigida. A cicatriz da cesariana de emergência é pouco visível através do meus pêlos pubianos, a linha é quase da cor da pele, é de um rosa suave. Por mais que eu parece a mesma, meu olhar ciritico percorre meu reflexo a mostra. Eu acho que ter filho tão nova foi algo bom pro meu corpo. Eu sempre vou ser pálida, mas eu não gosto de jeito que meus olhos parecem tão grande e meus ossos do quadril sobressaem quando estou nua. Eu preciso ganhar alguns quilos para preencher as curvas vazias.

Depois do meu regime beleza vigorosa eu assumo a cozinha para fazer um começo de café da manhã para nós. Passa um pouco das seis horas e Chris acordará em breve, gostaria de saber o que ele vai fazer com o novo ambiente.

Bem em tempo eu o ouço chamar:

– Mamãe, mamããããããe! – O tom de ansiedade na sua voz pouco compreensível.
Poucos passos apressados ​​me levam para ele.

– Hey meninão. Não se preocupe, como é que você dormiu?- Minha voz é calma e maternal e instintivamente passo a mão sobre seus cabelos para acalma-lo.

– O que aconteceu com o meu quarto? – seu olhar é aliviado, mas ainda surpreso com seus grandes olhos olhando confiantes no meu.

Eu deslizo em sua cama e o puxo para meus braços.

– Nós nos mudamos ontem à noite depois que você foi dormir filho. Vovó e eu pensamos que você podeira gostar mais deste quarto. – eu estou sorrindo em seu cabelo enquanto ele agarra o braço em volta do meu pescoço.

– Será que ele tem algum animal? – ele se liberta do meu abraço como luzes de excitação em seu rosto inocente.

Eu sorrio.

– Não filho, mas ele tem uma grande TV com o Discovery Channel e alguns que só tem desenhos animados!

– Nossa mamãe, eu posso ver, posso mamãe, posso? – Ele já está correndo para a sala.

Relutantemente eu saio da cama, seguindo seu rastro energético. Ele corre ao redor, explorando cada canto, finalmente, lhe dá todo o seu selo de aprovação. Seu sorriso é largo enquanto ele olha na tela grande enquanto zapeia por canais desconhecidos.

Quando ele para no canal Discovery com imagens de suricatos africanos eu me sento com ele, observando por alguns minutos. Nós rimos juntos com suas palhaçadas engraçadas, que me deixam com um sentimento agridoce apertando meu coração,  eu quero tanto que Christian tenha isso, para compartilhar toda a diversão e amor que uma criança pode trazer. Quero que Chris tenha seu pai.

– Você está pronto para comer alguma coisa filho? – eu pergunto.

– Uh-huh – um pequeno aceno de cabeça é tudo que eu tenho dele. Ele está totalmente absorto em como a tela treme em suas imagens coloridas.

Assim que eu terminei de pôr a mesa, a minha mãe faz uma aparição com os olhos turvos. De repente cansado, sinto-me insegura com ela, após a historia completa que contei a ela na noite passada. Eu testo um sorriso e por um momento ela apenas olha para mim, um arranjo impassível no rosto. Meus nervos dão lugar à ansiedade adequada, obrigando-me a perguntar:

– Será que estamos bem mamãe?

– Oh, querida, eu fiz algumas escolhas estúpidas na minha vida. Marido número três, provavelmente a maior, – diz ela secamente e firme com uma sobrancelha arqueada. – Quem sou eu para julgar e, além disso, eu nunca posso ficar brava com você. Pelo menos você tem a oportunidade de tentar corrigir sua bagunça. Mas, por favor, – ela poem uma mão no meu ombro e com a outra ela coloca uma mecha de cabelo atrás da minha orelha – Eu preciso que você me prometa que você vai fazer tudo o que puder para fazer isso direito! – ela parece muito severa, sua voz suave.

– Eu vou mãe, na verdade, eu já estou trabalhando em um plano. – Dou-lhe uma piscadela com um sorriso, esperando tanto aliviar o clima e tranquilizá-la.

– Não vai ser fácil. – Ela avisa e balança a cabeça com tristeza: – O que você fez é malditamente imperdoável. Eu só quero ter certeza de que você sabe como isso é importante e não só para você. – Seus olhos correndo para Chris

– Eu sei mãe! – a vergonha segue rapidamente, picando meu rosto, isso me deixa desconfortável. Até que ponto isto vai dar certo?

– Ok, então! – ela admite, ainda me olhando duvidosamente.

– Estou quase terminando de aprontar o café da amanhã, vou pegar um pouco de café. – Estou ansiosa para ficar longe de seu olhar, para me recompor.

Todos nós sentamos e desfrutamos de um café da manhã agradável, principalmente porque Chris é docemente divertido enquanto ele nos fala sobre as aventuras do Suricate. É difícil não ser varrido em seu entusiasmo com os olhos arregalados.

Depois do café eu faço uma chamada para a recepção, na esperança de garantir um corte de emergência. Estou surpreso com a minha sorte, talvez isso irá marcar um ponto de partida para mim. Eu marco para as 08h30min e com um sentido renovado de otimismo.

Meu cabelo é brilhante e liso, eu obervos a ondulação em torno de mim enquanto eu olho para um lado e outro no espelho do cabeleireiro.

– Bom trabalho! – eu sorrio agradecida pelo seu reflexo. Quando eu vou pagar a conta eu sofro uma pontada de culpa grave, não devia gastar dinheiro que não tenho.
Rapidamente eu subo pro quarto para me trocar. Eu escolho um vestido-envelope preto e branco, com detalhes rosa quente e mangas. É de algodão e lycra misturados e por isso se apega a todos os lugares certos. É feminino e glamuroso e fica logo acima do meu joelho. Eu sou grata que é uma grife, mesmo que eu tenho pagado bem pouco em uma liquidação da loja.

Eu amarro com delicadeza as sandálias de salto alto preto e deixo o meu cabelo solto em uma ondulação selvagem ao redor do meu rosto. Gloss e um pouco de rímel finalizam o look natural. Pelo menos eu pareco descansada e eu ainda estamos bem cheirosa do meu glórios início da manhã.

Humm! Poderia acontecer isso de novo, ou melhor, ainda, poderia o  Christian fazer isso por mim…

“Você está ficando muito à frente de si mesmo.” – o meu subconsciente me coloca no meu lugar. Ele está certo, é claro, eu deveria observar cuidadosamente as minhas expectativas.

Uso um pouco do perfume da minha mãe. É leve e floral com um toque de musk sensual. Eu sei muito bem o quanto evocativo um cheiro pode ser, o cheiro de Christian deve ser uma das coisas mais sexy sobre ele.

Eu sei que pareço bem pela reação da minha mãe. Ela não me viu com esse vestido nos últimos anos. Ela me dá um assovio e Chris bate palmas com alegria;

– Mamãe, você está bonita, como uma princesa. – ele abraça minhas pernas. Meu coração se derrete; elogios de fato, o que mais pode uma mãe pedir? Eu bagunço seus cabelos e curva-me para dar-lhe um abraço apertado.

– Você que parece querido, tente não chorar, os homens sempre ficar nervosos em torno de uma mulher chorando. – é a sabedoria de despedida para mim, enquanto eu me vou para meu encontro com o destino.

É domingo, então o tráfego é misericordiosamente tranquilo. Eu mentalmente penso nas coisas que eu gostaria de projetar hoje. Eu quero parecer confiante, mas ainda mostrar a Christian que estou profundamente arrependida. Eu quero lhe mostrar que eu mudei, que eu estou mais madura e mais capaz de lidar com as coisas que a vida pode atirar em mim.

Quero ficar longe de sua auto-aversão e tentar persuadi-lo a ser feliz, e despreocupado como o Christian que eu conheci e que está escondido em algum lugar. Eu ainda não sei como vou lidar com qualquer dúvida sobre Chris, especialmente se ele quer conhecê-lo. Eu acho que eu poderia ter para avaliar seu estado de espírito no momento e fazer um esforço para ser o melhor possivel. Ele é o pai de Chris, afinal. Espero ardentemente que ele tenha superado o pior do choque.
Acima de tudo, eu não quero brigar com ele. Vou fazer um esforço monumental para manter a calma e para não chorar. Mesmo que eu tenha passado algum tempo me arrumando para seduzi-lo, eu não quero apressar-nos na cama, apenas para se arrepender mais tarde.

Se tudo correr conforme planejado, temos que nos esforçar e nos dar um tempo para cicatrizar, talvez até começar a namorar como pessoas normais. Talvez se não tivessemos ido de zero a cem quilômetros por hora em dois segundos, como da última vez, não estaríamos nesta situação. Estou me sentindo reservadamente otimista, mas as borboletas no estômago são frenéticas.

Esse taxi é outra despesa indesejável, mas o que eu posso fazer? Não havia nenhuma maneira que eu poderia aceitar a oferta de Christian em enviar Taylor, seu olhar de desaprovação é mais do que eu posso lidar agora.

Uma vez que eu estou na calçada em frente ao Conrad eu aliso meu vestido sobre minhas coxas e prendo uma respiração profunda. Repito o mantra yoga na minha cabeça para acalmar os nervos a flor da pele. Eu entror no hotel e sigo as indicações para o Bar no Nível 25. A passos largos eu atravesso a porta arco, a atração familiar parecem estalos e faíscas quando nossos olhares se encontram.

Meu coração para de bater e recomeça. Seus olhos cinza, escondendo sua surpresa, possivelmente porque eu pareço tão diferente de ontem. Ele é o deslumbre em pessoa, camisa de linho branco e calça jeans perfeitamente ajustadas. Eu sinto um ligeiro aumento da minha confiança e me surpreendo com a graciosidade que eu prontamente me movo para encontra-lo.

Minha deusa interior está vestida com uma capa vermelha, que em um piano preto cantando em um fôlego, uma sexy sintonia. Seus olhos estão vibrando sedutoramente para ele.

Ele se encarrega de nossa saudação, não atrapalhada como na noite passada. Ele coloca a mão no meu ombro e se inclina para me beijar suavemente nos lábios. Minha mão sobe ao encontro de seu peito e eu o sinto endurecer em resposta assim que eu mantenho o meu toque leve. Nosso encontro reunião cauteloso dá lugar ao espanto, como uma rápida sucessão de flashes que me cega momentaneamente. Quando eu recupero minha visão eu vejo a parte de trás de um cara em um terno mal ajustado correndo pra fora do resturante.

– Porra paparazzi! – Christian cospe com nojo. – Você acha que em um lugar como este que você estaria livre desse lixo. – Seus olhos são nublados com sua irritação. Ele leva um longo minuto antes que ele volte para mim.

Quando ele o faz  seu foco é intenso em cada detalhe.

– Você está linda Anastasia. – sua voz é um carinho para o meu nome, uma ligeira ondulação marca sua testa enquanto sua cabeça cai para um lado, como se ele estivesse tentando me entender.

Meu rubor não fica muito atrás enquanto eu agradeço. Meu subconsciente está procurando algo conciso, olhando-me de cima de seus óculos alados. Inocente!

– Por favor, sente-se! – sempre cavalheiro, ele puxa uma cadeira de vime enorme e eu sento na borda, meus tornozelos cruzados e as costas retas. Eu sorrio para ele e observo a curva bem-humorada de sua boca linda.

Nossa mesa é uma pequena praça rodeada por quatro cadeiras. Esperava que ele se sentasse à minha frente, mas ao invés disso ele escolhe a cadeira ao meu lado e eu opto por tomar isso como um sinal. Um bom sinal. Ele repousa os cotovelos sobre a mesa e coloca as mãos na frente da boca, batendo levemente um dedo sobre os lábios.

– Você parece relaxada, brilhando mesmo. – ele aperta os olhos para mim e inclina a cabeça novamente, garantindo que ele pudesse ver o rubor rosa sobre o meu rosto.
– Se eu não estiver enganado, eu diria que você teve um alivio. – ele está vestindo um sorriso de esfinge, indecentemente paquerador e extremamente inquietante.

Que…? Espere um minuto, essa conversa é ultrajante! Ela deve ser reservada, formal, talvez até com raiva, mas ao invés disso eu estou enfrentando o Sr. brincalhão. E outra coisa, como diabos ele sabe?

Imediatamente meu sorriso se esvai junto com meus olhos que encontram no chão. Eu não sei o que dizer.

– Eu …. uhm … – eu gaguejo enquanto me contorço na cadeira, o rubor rosa se tornou um tom alarmante de vermelho.

– Anastasia, você tem algo a me dizer?- instantaneamente o Sr. Brincalhão é substituído pelo Sr. Zangado. Sua voz é ameaçadoramente suave, seus olhos duros como pedra. Ele aperta o queixo, tentando segurar seu temperamento.

Estou freneticamente mexendo com o guardanapo no colo, enquanto penso que ele deve pensar que eu tive sexo real.

– Não é o que você pensa! – eu grito ansiosa para corrigi-lo, mas morrendo de vergonha. Eu não sou corajosa o suficiente para enfrentar sua ira.

– Então você pode me esclarecer. Talvez você não lembre que eu era casado com você. Você não esquece o resplendor do rosto de seu primeiro e único do amor depois do prazer. – estranhamente isso me soa como uma coisa tão romântica de dizer, mas eu sei pelo seu tom de voz que ele está apenas segurando-o junto. Seu olhar poderia derreter o gelo polar.

Merda! Não queria ter que falar sobre isso.

Eu vejo o meu plano cair em uma queda livre, quebrado e queimado. Por que eu estou sempre com um pé atrás com este homem? Meu medo de seu estado de espírito que me faz falar:

– Ontem, quando nós… Eu estava… – eu balancei minha cabeça, a vergonha rouba minhas palavras.

Por favor, por favor, podemos retroceder? Eu peço antes do meu desconforto se transformar em raiva, quem é ele para me dizer o que pode e o que não pode fazer? Ele é foi o único que desbloqueou você em primeiro lugar!

– Eu… Eu toquei uhm, eu mesma… Esta manhã… Se você quer saber. – eu falo em um tom arrogante, minha irritação clara e minha humilhação completa.

Ele não presta atenção ao meu tom.

– Você fez? – Ele parece surpreso quando sua cabeça chicoteia para trás, olhando-me com um soar de diversão em seus lábios.

– Por quê?- Sua voz se tornou suave, mesmo persuadindo, com os olhos ardendo com o calor. Nossa, que vergonha!

– O que você quer dizer por que, você sabe por quê! – Eu cuspo e escondo meus olhos novamente.

Ele me respeita, por um momento, um longo dedo tocando cuidadosamente.

– Humm, sim. Eu acho que eu sei. – felizmente, ele pega o menu e folheia por ele com uma indiferença casual que me deixa furiosa e um pouco sem fôlego.

O que significa isso?! Eu estou tão fora da minha profundidade aqui.
Um garçom aparece na nossa mesa, reconhecendo-nos com um gesto educado. Christian interrompe meus pensamentos desenfreados com uma pergunta:

– O que você gostaria de comer Anastasia?

Em vez de lhe responder, eu dirijo o meu pedido para o próprio garçom, pedindo uma pequena salada de frutas e chá Inglês. Eu sou estou muito louca para falar com ele agora.

O que aconteceu para estar acomodado e calmo? Meu subconsciente está cheio de sarcasmo.

Christian pede um café e uma omelete e uma vez que o garçom deixa a mesa, seus olhos estão sobre mim novamente.

– Diga-me Anastasia, é hábito seu agora, dar prazer a si mesmo? – ele ainda está sorrindo, obviamente gostando do meu desconforto.

Eu gemo, o chão pode abrir agora e me engolir nesse momento, por favor? Eu tenho que cortar o mal pela raiz, eu me recuso a ter essa conversa com ele.

– Idiota! – Seus olhos estão rindo de mim, apesar da minha angústia óbvia – é irritante!

– Não que isso seja da sua conta, mas não, e eu não vou discutir mais esta questão! – eu olho para ele, para enfatizar meu ponto de vista, enquanto eu estupidamente coro de vergonha escondida.

Eu tento desesperadamente nos orientar para um novo tópico.

– Eu pensei que nós deveríamos falar sobre onde podemos ir a partir daqui. Eu queria ver se poderíamos trabalhar um caminho mutuamente aceitável, mas parece que você não está levando isso a sério. Em tudo! – Podemos, por favor, voltar ao foco? Peço em silêncio.

Ele levanta as mãos em sinal de rendição e ri de si mesmo.

– Ok, ok, eu vejo que você não tem um bom humor esta manhã, vamos começar com o negócio na mão? – ele está tentando manter uma cara séria, sugando as bochechas para se impedir de sorrir.
O que está acontecendo com ele? Ele perdeu o juízo? Por que diabos ele está tão feliz?
Eu estou em uma perda completa. Eu estava esperando muitas coisas hoje: raiva, fúria, mesmo ressentimento, um monte de conversa séria e, possivelmente, algumas humilhantes da minha parte, mas eu não estou preparado para Grey brincalhão. Eu abri minha boca para falar, mas a fechei novamente, o som chamando a sua atenção de volta para mim.

Tanto para os melhores planos!

Um lampejo de preocupação atravessa seu rosto quando ele percebe a minha expressão.

– Anastasia, o que há de errado? – ele se aproxima mais da mesa e coloca uma mão reconfortante quente sobre a minha.

– O que há de errado, você ainda pergunta? O que há de errado? – minha voz incrédula sobe de tom, quase um gemido. Tiro minhas mãos longe das suas agitada.

– Ontem eu tive o choque de minha vida, encontrando você assim, e eu tenho certeza que foi um choque para você também. No entanto, aqui esta você, brincando e… E flertando comigo como se nada tivesse acontecido!

Ele me olha, cansado, as palpebras descendo para esconder a emoção em seus olhos. Suas mãos deslizam sobre a mesa, de volta ao seu apoio enquanto ele se inclina contra a cadeira.

– O que mais você quer dizer? Nós dois fomos incrivelmente estúpidos. Eu falhei com você em tantos níveis e você fugiu, escondendo o nosso filho de mim. – Seu timbre é seco e sua expressão, grave enquanto ele resume nosso passado em uma pequena frase, mas para mim é claro que ele ainda não entende.

Eu percebo que a sua auto-aversão está trabalhando em meu favor agora. Ele, obviamente, se sente que somos igualmente culpados e se esse for o caso, ele provavelmente vai achar que é muito mais fácil aceitar a minha transgressão e me perdoar. Talvez por isso ele esta tão feliz, ele acha que pode simplesmente apagar tudo e começar de novo. Ele claramente quer também, ele não estaria flertando comigo, se ele não tivesse nenhum interesse em conciliar. Eu poderia usar isso? Eu poderia usar sua fragilidade para nos corrigir?

Tanto a minha deusa interior, quanto o meu subconsciente estão balançando a cabeça. Um raro momento de completo acordo. Não, eu fiz isso, eu tenho que assumir a responsabilidade.

Percebi minha inteligência e tentei formular uma declaração clara e concisa para penetrar na camada profunda de auto-aversão que, obviamente, ainda povoava seu cérebro.

– Christian, eu ainda sinto que você não me ouviu. – minha voz é calma e determinada enquanto eu quero que ele siga a minha linha de pensamento.

– Eu era incapaz de ver o que tínhamos, eu era incapaz. – eu enfatizo a última palavra, o olhando para medir a sua resposta. – Foram meus problemas, minhas próprias inseguranças decorrentes de não acreditar em mim mesmo. Talvez se eu tivesse feito algo para ganhar o seu amor eu me sentiria mais capaz de aceitair isso. – O meu olhar encontra meus dedos remexendo no meu colo, escondendo a dor em meus olhos. Eu me forço a respirar pela torrente, eu não vou chorar, não vou chorar.

– Foda-se Anastasia! Tá sendo assim mais uma vez! Você é a única que não escuta. –  Ele bate com o punho na mesa e os talheres protestam, saltando fora de seus lugares colocados, os olhos brilhantes de fúria.

– Hoje, ao encontra-la aqui, estava tentando aliviar o clima, eu estava tentando nos dar uma pausa! Fazer as melhores escolhas, isso é o que devemos falar. Mas se você está determinada a trazer isso então vamos lá! Nós dois fodidos, mas eu ainda mantenho que o meu fracasso é muito maior do que o seu. – ele está passando a mão pelos cabelos, enquanto ele tenta controlar sua angústia.

Puta Merda! Isto não é uma competição! Estou chocada com ele, meu queixo quase caindo em cima da mesa. Como é que ele ainda pode fazer isso? Eu amaldiçôo a sua auto-aversão.

– Este é o lugar onde o seu intelecto aguçado sempre a deixa para baixo. – seus olhos frios perfuraram os meus, cinza ardósia em azul gelo.

O quê?

– Você ainda não vê o efeito que você tinha em mim! Você disse que não queria fazer de mim algo que eu não era, referindo-se, naturalmente, para o fato de que você não me permitiu te bater na minha sala de jogos. – ele mantem o tom de comando, atraindo-me, obrigando-me tomar conhecimento para que eu ouça atentamente.

– Entenda que com todas aquelas mulheres, Anastasia, puni-las era uma maneira que eu tinha para lidar com o fracasso da prostituta drogada, para me proteger. Que a raiva e a dor eram necessárias, e que era um meio para um fim. Mas eu aprendi a amar você.  Algo que eu nunca acreditei que era possível para mim. Uma reviravolta irônica apareceu. E eu comecei a ver que você me amava. Comecei a ter esperança de que talvez, eu valia a pena amar. Seu amor eclipsou a raiva e a dor e pela primeira vez senti-me deixar o passado ir. – Eu posso ver seu pomo de Adão se mover para cima e para baixo enquanto ele engole escolhendo seus pensamentos. A atmosfera é tensa, mas eu estou pendurada em cada palavra sua.

– Tinha que amarrar as mulheres até se eu quisesse estar perto delas, eu não poderia suportar se elas me tocassem, mas seu toque era diferente, você me fez querer isso, ansiar por isso. Você me fez desejar o toque de suas mãos movendo-se através da minha pele cura, assim, essa era uma outra questão que eu pensei que eu teria que viver pelo o resto da minha vida. Você fez meu corpo todo quebrado. – seu olhar é medido e constante, observando-me. Eu demoro a consolá-lo, para me perder nele, mas eu não quero interromper.

Ele vai passar por cada ponto, como ele costumava fazer quando estávamos discutindo primeiro o seu contrato bizarro.

– Quando você durmia na minha cama, eu não tinha pesadelos, meu sono era tranquilo, sem memórias horríveis. – e é a sua vez de ficar com um olhar pensativo.

– Isso, minha cara Anastasia, é o que você fez por mim. Então, eu não sei se isso se encaixa seus parâmetros de “fazer algo para ganhar o meu amor”, mas tanto quanto eu estava preocupado era muito mais do que eu jamais ousei esperar. – ele é totalmente sinceridade e tem um efeito de desarmamento em mim, roubando minhas barreiras de defesa.

– As coisas que milhares de dólares de terapia, – acena a mão com desdém  – E um estilo de vida BDSM cuidadosamente planejado nunca poderia fazer.

– Oh Christian! – eu gemo como novas lágrimas queimando atrás dos meus olhos. Ao ouvi-lo dizer essas coisas em voz alta, tudo faz sentido. Por um lado, isso me faz sentir fantástica, sabendo que eu poderia trazê-lo para tal esperança e paz, mas, por outro lado, eu quero me chutar por não procura-lo mais cedo. Eu estava tão envolvida em minha própria insegurança que perdi tudo.

Ele identifica corretamente o entendimento surgindo nos meus olhos.

– Então agora você vê, eu nunca dei nada para você Anastasia. Nós crescemos, como um casal, ambos comprometidos ao longo do caminho e encontramos um novo curso. Nosso próprio curso. Eu não acho que a minha natureza possessiva, ciumenta e controladora vá mudar e eu ainda quero ver as pessoas que eu amo seguras e comendo corretamente. – um sorriso sardônico brota em seus lábios – Mas tudo era muito melhor com você. – seus pontos de vista em minha direção enquanto ele procura o meu rosto, sua mão lentamente serpenteando de volta a minha. Desta vez, ele alisa seu polegar pelos nós dos meus dedos.

Com essa nova perspectiva e uma nova visão que eu escolhi, minhas inseguranças substituindas informações que deveriam ter sido óbvias. Eu ainda não concordava que nada disso era culpa dele mas é mais claro do que nunca que eu pertenço a ele. Que eu mereço ele. Talvez eu precisasse passar por esse batismo de fogo, a angústia de ruptura do coração, a fim de compreender o que se sente por alguém para fazê-lo todo novamente.

Eu tomo uma respiração profunda, fortalecendo, me preparando para o que eu quero dizer, eu distraidamente retribui o carinho.

– Eu quero você de volta.

Please, feel free to leave a comment

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s